História

HISTÓRIA

A Associação Alírio Pfiffer/Instituto TMO /Casa Malice, oferece serviços de acolhimento institucional provisório, visando dar apoio e proteção aos indivíduos portadores de doenças crônicas relacionadas ao sangue, entre elas o Câncer, sendo uma das modalidades de tratamento o Transplante de Medula Óssea. Durante o tratamento as pessoas sem condições econômicas e em situação de vulnerabilidade social, desde seus municípios de origem, permanecem hospedadas na Casa Malice a qual disponibiliza um atendimento humanizado, gratuito, em um ambiente com estrutura física adequada, oferecendo condições de moradia, alimentação, higiene, salubridade, segurança, acessibilidade e privacidade para a pessoa em tratamento e seu acompanhante. Desde dezembro de 2016, já passaram pela casa mais de 350 pessoas, totalizando 7.480 hospedagens.

Outro grande desafio é manter e ampliar os serviços assistenciais com foco na melhora da qualidade de vida de crianças, adolescentes, jovens e adultos sem distinção de idade que se encontram em tratamento de TMO, no Serviço de Transplante de Medula Óssea do Hospital de Clínicas/UFPR. Com o Acordo de Cooperação entre o Instituto TMO e o Hospital de Clínicas da UFPR, temos a possibilidade de formatar mais e melhores projetos.

Destacamos o fato de que o Hospital de Clínicas é um hospital público e atende somente SUS e o STMO/HC/UFPR é referência para a América Latina no tratamento por TMO de várias patologias e doenças raras. Foi o primeiro a fazer um transplante de medula óssea no Brasil, o primeiro a fazer transplante de cordão umbilical na América Latina e é considerado um dos melhores do mundo.

Ao longo desses 31 anos de trabalho a Associação Alírio Pfiffer/INSTITUTO TMO contribui significativamente com o Serviço de Transplante de Medula Óssea do Hospital de Clínicas da UFPR, considerado centro de excelência para a América Latina, para que o mesmo pudesse desenvolver seu trabalho apoiado não só na reconhecida capacidade de seus profissionais, mas, também, contando com novos equipamentos, biblioteca atualizada, local de trabalho reformado e humanizado, central de ar condicionado instalada, reformas e manutenções periódicas, condições de desempenho e participação de pesquisas diversas, inclusive por Protocolos assinados e de acesso a informações e cursos em centros internacionais de transplante de medula óssea e congressos.

Desempenha sua função com a absoluta transparência das ações executadas, carisma e liderança exemplar, unindo colaboradores numa corrente voluntária do bem para salvar vidas.

O Transplante de Medula Óssea (TMO) constitui-se hoje no tratamento para uma variedade de doenças hematológicas malignas, na medula óssea, deficiências genéticas, metabólicas e imunológicas. Basicamente, há dois tipos de procedimentos: um, onde a medula óssea a ser transplantada provém de um doador histocompatível – chamado de transplante alogênico e outro, onde o tecido provém do próprio paciente, chamado de transplante autólogo.

Evidentemente que o sucesso do TMO está diretamente ligado à qualidade dos serviços oferecidos. Inclui-se neste processo a especialização, capacitação e a experiência profissional da equipe, a infraestrutura local oferecida e a eficiência dos setores de apoio, tais como a hemoterapia, análises clínicas, imunogenética e nutrição, dentre outros.

A criação do STMO no HC/UFPR em 1979 e o excelente desempenho desde então se reflete no sucesso alcançado em seus procedimentos, assim tornou-se referência na área de transplantes, constituindo-se num dos maiores centros de transplantes de medula óssea do Brasil, responsável por 30% de todos os transplantes realizados em nosso país.

O STMO está vinculado aos grandes centros internacionais através do Internacional Bone Marrow Transplantation Registry, que registra os casos de transplante em todo o mundo e ao Bone Marrow. Donor Program, que o credenciou como primeira instituição latino-americana habilitada a utilizar a medula de doadores não aparentados na América Latina.

Como centro de pesquisa científica, formação de recursos humanos e especialização, esse serviço mantém um ativo intercâmbio com outros centros médicos brasileiros e internacionais, contribuindo assim para a difusão de técnicas de transplante. Desenvolve pesquisas com instituições de renome internacional, sediadas nos Estados Unidos, França e diversas outras localidades, em áreas de aplicação dos transplantes de medula óssea.

Como Hospital Público no Brasil, o STMO/HC/UFPR só atende pelo SUS e já realizou, desde que foi criado até dezembro de 2019 – 2808 TMOs em diversas modalidades, sendo que desses 55% em crianças.

MISSÃO

Desenvolver um trabalho de apoio ao transplante de medula óssea do Brasil, com a absoluta transparência das ações executadas, carisma e liderança exemplar, unindo colaboradores numa corrente voluntária do bem para salvar vidas.